Marina Klink



Testemunho

A investigação poética de Marina Klink parece se filiar ao exemplo de fotógrafos do fotojornalismo que, com olhar sensível informam por imagens singulares, as emoções experimentadas em suas viagens. Através de suas lentes Marina torna pública as regiões remotas do globo. Sua coleção de imagens, extraídas numa terra improvável ao ser humano apresenta a natureza de maneira genuína e nos transporta, silenciosamente, pela sedutora imensidão desértica. Suas fotografias cruzam um repertório geográfico pouco conhecido e revelam fragmentos esparsos indicativos de uma humanidade ausente. Marina Klink revela seu conhecimento plástico e sua maturidade artística ao registrar as paisagens geladas. Com simplicidade e audácia, suas fotografias desbravam ao espectador um mundo desconhecido; uma terra inabitável, distante do excesso e dos ruídos contemporâneos.
SILVIA MEIRA, curadora MAC-USP

A Marina não é apenas mais frequente viajante a bordo, mas nos últimos dez anos, como poucos, compreendeu as possibilidades de uma plataforma versátil e incomum de navegação. E no final, ninguém passou mais horas suspensa a onze andares de altura no tope dos mastros ou plantada na ponta das retrancas tentando capturar imagens novas ou melhores. A beleza assustadora de ventos com mais de cem nós, a fauna, a inusitada flora da região, a diversidade mineral, os encontros, nada escapou. E dentre as, dificuldades clássicas que vitimam fotógrafos experientes, lentes condensadas, dedos anestesiados, borrifos de sal e granizo, nenhuma a impediu de realizar seu intento. A prova disso são as lindas imagens que ela nos traz.
AMYR KLINK, navegador

Sobre o Livro fotográfico Antártica - A Última Fronteira Não são simples registros de viagem, nem tampouco seriam apenas paisagens geladas. Fugindo completamente de cenas de cartões postais tradicionais, Marina usou diferentes embarcações para chegar à Antártica, inclusive o seu veleiro, o Paratii2, e conseguiu registrar detalhes que verdadeiramente compõem o dia a dia no continente gelado através de um olhar maduro de quem conhece a região polar austral - as nuances da luz, o rigor do vento, a dinâmica das geleiras e a luta da biodiversidade polar pela sobrevivência numa região tão remota da Terra. Ao final de sua 13ª viagem à Antártica Marina encerra uma obra que traz 180 imagens capturadas com a sensibilidade e dedicação, e compartilha com o leitor instantes únicos e emocionantes registrados na Península Antártica, a Geórgia do Sul e as Ilhas Falkland (Malvinas). A obra conta ainda com 03 sobrecapas diferentes (Veleiro Paratii, Pinguim e Paisagem em Deception Island).
PEDRO SAAD – Editora Brasileira